Pagar tudo à vista e não usar crédito pode piorar nota no cadastro positivo

Fonte: https://economia.uol.com.br/ | Por Ricardo Marchesan | Do UOL, em São Paulo

Compartilhe [addthis tool=”addthis_inline_share_toolbox_m3zg”]

 

Neste mês foram liberadas as consultas ao cadastro positivo, registro que considera o pagamento de contas em dia para saber se o cliente é um bom pagador, inclusive com uma nota, chamada de score. Ela é uma medida que pode ser usada por instituições financeiras e facilitar a liberação de crédito.

Por enquanto, porém, nem todas as informações de pagamento são levadas em conta. Quem usa cartão de crédito ou faz compras parceladas, e paga essas contas em dia, pode ter uma nota melhor do que o consumidor que prefere pagar à vista.

Menos crédito, menor nota

Pagamentos à vista, em dinheiro ou cartão de débito, não fazem parte das informações do cadastro positivo, e por isso não são usados para a composição do score, segundo o SPC Brasil, uma das instituições responsáveis pelo cadastro, chamadas de birôs de crédito, ao lado de Serasa, Boa Vista e Quod.

Se a pessoa não usa crédito, fornece menos dados, o que afeta sua nota.

“O score é feito em função da informação que é recebida sobre o comportamento dos pagamentos. Se não tem informação, não tem como avaliar”, afirma Elias Sfeir, presidente da ANBC (Associação Nacional dos Bureaus de Crédito).

Ele usa como exemplo os EUA, onde a economia é muito baseada no crédito.

“Se você vai para os EUA, você não existe para o sistema. Se não tem crédito, não tem histórico. Quem vai para lá procura pagar algo a prazo para entrar no sistema”, afirma.

Apenas dados bancários são usados

Neste primeiro momento em que está sendo implantado, o score é calculado apenas com base nas informações bancárias dos consumidores, segundo o SPC Brasil. Ou seja, por enquanto, quem não tem conta em banco ou não utiliza esses serviços, não faz parte do cadastro.

VEJA TAMBÉM:  Baixa recuperação do crédito no Brasil eleva o spread bancário

Do cartão de crédito, apenas as informações de datas e valores de vencimento e pagamento das faturas fazem parte do cadastro positivo. Não há informações sobre locais e produtos comprados.

Nas próximas fases, também devem ser incluídas informações sobre pagamento de contas de água, luz, telefone e crediário. “Esse fato é relevante pois agregará as pessoas que não são bancarizadas, mas pagam suas contas em dia”, afirma o SPC Brasil.

Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), elogia o cadastro positivo, mas defende que mais informações sobre pagamentos à vista sejam incluídas.

“Já evoluímos muito. Antes, [o consumidor] tinha que fazer a informação chegar lá [no cadastro positivo]. Agora é automático”, afirma. “Mas aquelas pessoas que compram à vista podem ser penalizadas. Isso pode ser evoluído. Todas as compras têm que ir para análise.”

Não é para se endividar

O volume de crédito usado influencia a nota. “Quanto mais informações sobre o histórico de crédito dos consumidores puderem ser analisadas, mais assertivo será o score, pois a nota será composta por todo esse histórico de comportamento do bom pagador”, afirma o SPC Brasil.

Assim, se deseja aumentar sua nota ou ter certeza de que é percebido da maneira correta pelas instituições, quanto mais informação enviar, melhor, segundo o presidente da ANBC.

“Isso não quer dizer que é obrigado a comprar tudo a prazo para ter uma nota melhor”, afirma. “Cada um tem que ver sua realidade econômica. Às vezes a pessoa tem desconto à vista, às vezes não compensa fazer o parcelamento. É um balanço.”

O SPC Brasil também faz esse alerta.

“Não significa que o consumidor deve fazer várias compras a prazo ou fazer vários financiamentos, pois o alto endividamento também pode ser um problema e causar inadimplência”, afirma. “O correto para se ter uma boa nota é o uso do crédito consciente e equilibrado, sempre mantendo seus compromissos em dia.”

VEJA TAMBÉM:  1 ano de Cadastro Positivo

Como melhorar o score?

Sfeir afirma que não existe fórmula mágica para conseguir um bom score, mas há boas práticas que ajudam a melhorar sua pontuação. Ele listou algumas:

  • Se seu nome está no vermelho, regularize ou renegocie dívidas atrasadas
  • Evite atrasos no pagamento de contas como faturas e boletos
  • Coloque as contas no débito automático, evitando a possibilidade de atrasos
  • Confirme com as empresas se elas estão enviando seus hábitos de pagamento para o cadastro positivo
  • Coloque ao menos uma conta da casa em seu nome para construir o histórico, se não for o responsável pelas contas
  • Mantenha os dados cadastrais atualizados nos serviços de proteção ao crédito
  • Evite utilizar crédito ou o cartão de crédito até o limite de sua capacidade de pagamento
  • Acompanhe sua nota de crédito
Clique para assistir o vídeo:

Credito Cadastro Positivo