O que significa Cidadania Financeira e por que é importante?

Autor: Elias Sfeir
Presidente Executivo-ANBC e Conselheiro Certificado-Promovendo a Disciplina de Crédito e Governança Corporativa-Brasil

Compartilhe [addthis tool=”addthis_inline_share_toolbox_m3zg”]

 

Nos sistemas democráticos, os conceitos de Cidadania e Estado se expandiram.

Tradicionalmente, a Cidadania confere às pessoas o direito de participar de decisões que afetam o bem-estar social em troca de comportamento responsável dentro da sociedade.

Financial Citizenship

Mas, em sociedades que vivem uma crescente financeirização de recursos econômicos fundamentais para o bem-estar e a prosperidade, a Cidadania não pode ser exercida se o sistema financeiro for concebido como algo exógeno à política democrática. Em uma sociedade financeirizada, se não somos cidadãos financeiros, indiscutivelmente não somos cidadãos.

A Cidadania Financeira se realiza por meio de três estágios principais:

  • Inclusão financeira: processo que dá acesso e visibilidade aos produtos e serviços da economia materializada por meio do sistema financeiro. O Cadastro Positivo é um dos processos mais eficazes para essa inclusão.
  • Oferta de produtos e serviços: disponibilidade que se adequa à necessidade e acessibilidade do cidadão.
  • Educação financeira: arcabouço de conhecimento e boas práticas que propicia a inclusão apoiada em comportamento financeiro responsável, viabilizando assim a sustentabilidade da Cidadania.

Em suma, com a Cidadania Financeira, os cidadãos têm acesso a produtos e serviços financeiros adequados. Além disso, têm oportunidade, capacidade e confiança, por meio de apoio e conselho adequados, para tomar decisões conscientes sobre suas circunstâncias financeiras. E essa é a condição mínima necessária para efetivamente organizar suas finanças na sociedade.

Atualmente, o mundo tem uma população economicamente ativa de cerca de 2 bilhões de pessoas sem visibilidade no sistema financeiro. Esse enorme contingente excluído, que representa mais de 25% da população global, não usufrui dos benefícios proporcionados pela Cidadania Financeira, tais como:

VEJA TAMBÉM:  ESG: impacto no mercado de crédito

• Realização cotidiana de transações como envio e recebimento de dinheiro;

• Criação de economias de salvaguarda, que podem ajudar as famílias a gerenciar os picos de fluxo de caixa, formar capital de giro e consumir de forma sustentável;

• Financiamento a micro e pequenas empresas, ajudando proprietários a investir em ativos e aumentar seus negócios;

• Planejamento e pagamento de despesas recorrentes, como taxas escolares;

• Mitigação de choques e gerenciamento de despesas relacionadas a eventos inesperados como emergências médicas, óbito na família, roubo ou desastres naturais;

• Melhoria do bem-estar geral.