Em vigor a partir do próximo dia 9 de julho, novo cadastro positivo pode incluir até 22 milhões de consumidores no mercado de crédito do Brasil

Compartilhe

 

Benefícios econômicos e sociais da iniciativa impactarão todas as regiões do país 

10 de junho de 2019: Sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em abril, o novo Cadastro Positivo entra em vigor no próximo dia 9 de julho. Agora com inclusão automática dos consumidores, como já ocorre em mais de 70 países, o CP permitirá que o brasileiro seja avaliado de maneira individual e de forma mais completa pelas empresas credoras, diminuindo a burocracia das consultas e facilitando o acesso ao crédito. Assim, a população poderá negociar melhores taxas e condições, o que deve impactar o planejamento financeiro e, consequentemente, reduzir a inadimplência no país. Com base em um estudo realizado pelo setor, a ANBC (Associação Nacional dos Bureaus de Crédito) estima que a nova formatação do Cadastro Positivo tenha potencial para inserir até 22 milhões de pessoas no mercado de crédito nacional, além de injetar mais de R$ 1 trilhão na economia. 

De acordo com a pesquisa, a região Norte é a que apresenta o maior índice de inadimplência em relação à população (46,9%). Também na região, o Amapá e Roraima, respectivamente com 57,6% e 56,6%, são os estados com mais inadimplentes no país. Na outra ponta, a região sul, com 34,9%, é a que apresenta a menor inadimplência. E Santa  Catarina, com 33,8% de inadimplentes, é o estado com menor índice, bem abaixo da média nacional, que é de 40,3%.

Independentemente da localização, o novo Cadastro Positivo tende a promover, segundo estudo do setor, uma redução de até 45% na inadimplência. De modo geral, o acréscimo de consumidores ao crédito fica em torno de 10% da população de cada estado. Neste item, vale destacar o caso do Mato Grosso do Sul. Segundo a pesquisa, o estado, que tem uma população total de 2,7 milhões de habitantes, deverá agregar cerca de 570 mil pessoas ou mais de 20% do total ao mercado de crédito com o novo cadastro. Atualmente, essas pessoas não têm acesso ao crédito por terem pontuação de crédito baixa devido à falta de informação sobre eles, e não por serem inadimplentes.

 

Sul Sudeste

Centro Oeste Nordeste

Norte

“A inclusão de mais pessoas e a ampliação do crédito para quem já está no mercado,  proporcionadas pelo novo modelo de Cadastro Positivo, têm potencial de baixar os juros dos empréstimos e financiamentos”, observa Elias Sfeir, presidente da ANBC – Associação Nacional dos Bureaus de Crédito. “E juros mais baixos permitem que se tome mais crédito sem prejuízo da capacidade de pagamento do consumidor”, completa.

Resumo dos Principais Benefícios

 

  • Crédito mais acessível e barato por meio da pontuação de crédito

 

A diminuição dos riscos na oferta de crédito possibilita juros mais baixos e maior concorrência no mercado de crédito. O empoderamento do tomador de crédito — quer seja um consumidor, PME ou um empreendedor —  por meio da pontuação de crédito poderá reduzir a inadimplência em até 45%. A lei possibilitará a inclusão de 22 milhões de pessoas no mercado de crédito, e mesmo quem não tem comprovação de renda poderá ter acesso ao crédito graças a seu CP.

 

  • Aumento do emprego devido ao aquecimento da economia

 

Esse instrumento pode aumentar o PIB anual em 0.54% a.a. e pode injetar a médio prazo até R$ 1,1 trilhão na economia, e uma economia aquecida gera empregos e aumenta a renda dos cidadãos.

 

  • Avaliação de crédito mais justa com base em pontuação ou escore

 

O CP reverte o cenário de decisão de crédito por parâmetros negativos. O histórico positivo passa a ser mais relevante. Cidadãos com bom histórico, mas que enfrentaram situação de inadimplência serão avaliados também pelas contas pagas em dia.

 

  • Melhoria de crédito para as classes menos favorecidas  

 

Consumidores nas piores faixas de escore e que, em sua grande maioria, possuem menor renda, são aqueles que mais ganham com o CP. Um estudo realizado pelo setor estima que 60% dos menos favorecidos teriam elevação em seu escore com o novo CP.

 

  • Controle do consumidor sobre suas informações  

 

A lei atende aos requisitos do Código de Defesa do Consumidor, pois o cancelamento de cadastro pode ser feito a qualquer momento. No sistema atual (adesão voluntária) os dados do histórico de crédito como pagamentos de contas e empréstimos ficam abertos a todos os consulentes (lojas, bancos, financeiras, empresas de serviços públicos, etc. Com a nova lei esses dados entram automaticamente na pontuação de crédito (escore) e a abertura de dados é feita pelo tomador de crédito junto ao consulente.

 

  • Garantia de Privacidade

 

A pontuação de crédito será composta por dados relativos a empréstimos, financiamentos, crediários, contas de água, luz, gás e telefone. Informações relativas a saúde, deslocamentos ou interações sociais não serão e nem podem (por lei) ser utilizadas.

 

Sobre a ANBC

A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável do crédito no Brasil. A entidade congrega os birôs de proteção ao crédito que atuam no território brasileiro e mantém relacionamento com associações internacionais para promover as melhores práticas do setor. A ANBC é membro da Associação de Fornecedores de Informação de Crédito ao Consumidor (ACCIS), entidade internacional que reúne 39 birôs de crédito e da Associação Latino Americana de Birôs de Crédito (ALACRED).

 

pimenta comunicação

Relações com a Imprensa

Regina Pimenta 5511- 98136.6835/2858.9191 regina@pimenta.com

Ana Carolina Rodrigues 5511-98674.0348/2858.9190 anacarolina@pimenta.com